6.3 C
Figueira da Foz
Quarta-feira, Fevereiro 8, 2023

Município da Figueira da Foz estuda proveniência dos maus cheiros

EU REPÓRTER?

Metereologia

O Município da Figueira da Foz propôs-se efetuar a Monitorização de Odores na zona sul do concelho. A concretização deste objetivo encontra-se a cargo do IDAD – Instituto do Ambiente e Desenvolvimento, responsável pela implementação no terreno das ferramentas necessárias à identificação das fontes de emissão de odor e à delimitação das suas áreas de influência.

Os trabalhos iniciaram-se com a realização do Diagnóstico Qualitativo da Incomodidade de Odores que se desenvolverá em duas fases: Auscultação das partes interessadas e Estudo de circulação atmosférica.

O contacto com as partes interessadas ocorreu em março de 2022, através da realização de uma Workshop Participativa em que o município, as empresas e a população estiveram presentes e onde procederam à identificação das principais fontes emissoras existentes na área sul do concelho da Figueira da Foz. A informação obtida através dos grupos de trabalho criados foi analisada pelo IDAD tendo-se procedido à delimitação das zonas identificadas pelos participantes e, assim identificar a população exposta, população essa que será convidada a responder a um questionário sobre o grau de incomodidade causada pelos odores.

A avaliação da incomodidade de odores será então efetuada através de questionários que têm em conta as complexidades da relação existente entre a emissão de odor e a consequente incomodidade (norma VDI 3883 – Parte 1 “Effects and assessment of odours. Assessment of odour annoyance. Questionnaires), considerando-se que, para além da emissão de odor, existem fatores de contexto e fatores pessoais que podem ter um efeito de atenuação ou amplificação da incomodidade sentida.

Os questionários foram distribuídos aos residentes das zonas selecionadas, por entrega porta-a-porta, solicitando-se aos inquiridos o envio das suas respostas via CTT em envelope RSF disponibilizado juntamente com o questionário. O período de resposta decorre até 11 de julho de 2022. Dependendo da taxa de resposta, poderá ser necessário fazer nova distribuição dos questionários à população.

Já em curso encontram-se as fases subsequentes do estudo que integram o Estudo de circulação atmosférica (avaliação das condições de dispersão atmosférica na região e dentificação dos potenciais recetores afetados) e o Inventário de emissões (identificação das fontes de emissões atmosféricas e de odores).

Para a concretização do Inventário de Emissões, as empresas identificadas pelos participantes na Workshop foram convidadas, via correio eletrónico a identificar as fontes de emissão de odores presentes nas suas instalações. Prevê-se que a recolha desta informação esteja obtida no decorrer do mês de julho.

A última fase do estudo de monitorização incide sobre a delimitação das áreas afetadas pelos odores através da Medição dos penachos de odor. Esta determinação do penacho de odor será realizada através de medições em campo com recurso ao olfato humano (por assessores devidamente calibrados). Os trabalhos de campo, com início a 6 de julho de 2022, decorrerão nos meses de julho, agosto e setembro.

Os resultados obtidos serão utilizados para determinar a extensão plausível da potencial exposição a odores. A metodologia utilizada encontra-se definida na norma europeia EN 16841-2:2016 “Ambient air – Determination of odour in ambient air by using field inspection – Part 2: Plume method”.

O Município pretende, com este Estudo de Monitorização de Odores, localizar as fontes emissoras de odores que se fazem sentir na zona sul do concelho da Figueira da Foz e efetuar as respetivas medições.

 

- Advertisement -

✚ Farmácias

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -

Últimos Artigos