“O Mar que nos Une” – Municípios de Cantanhede, Figueira da Foz e Mira apresentam 208 eventos entre julho de 2021 e junho de 2022

0
43
Pub

Na passada quarta feira, dia 2 de Junho, em Buarcos, Figueira da Foz, foi
realizada a apresentação pública da Rede Intermunicipal “O Mar que nos
Une”, candidatura conjunta, agora aprovada, levada acabo pelos municípios
de Cantanhede, Figueira da Foz e Mira .
Foram apresentadas 7 ações centrais, um total de 208 eventos a realizar entre
Julho de 2021 e Julho de 2022 no território dos 3 municípios, com o principal
objetivo de revitalizar o tecido artístico, associativo e cultural do território bem
como criar instrumentos de capacitação das populações no que respeita à
ação cultural em rede.
O evento contou com a participação dos Presidentes de Câmara dos
Municípios de Cantanhede (Helena Teodósio), Figueira da Foz (Carlos
Monteiro) e de Mira (Raul Almeida) e do diretor artístico do projeto, (André
Varandas).
A moderação e apresentação ficou a cargo de Pedro Cardoso (Cantanhede),
Ana Carvalho (Figueira da Foz) e Fernando Magueta (Mira), que assumiram o
papel de pivots da apresentação.
A programação “O Mar que nos Une” conta com sete ações centrais, um total
de 208 eventos culturais e conta com a participação de cerca de 120
associações/artistas locais.
Acções centrais:
“Andar à Catraia com Bordalo ii ” – Arte Urbana – (3 instalações).
“Thalassos” – Criação artística sócio-comunitária – (6 espetáculos)
“Marmostra” – Festival internacional de Cinema – (14 eventos )
“Visitas encenadas” – Oficinas criativas Teatro (6 espetáculos)
“Lendas do Mar” – Teatro para a família (6 espetáculos)
“Sabor e Saber (a)Mar” – Gastronomia e Teatro (6 espetáculos)
“Marmorfose” – Animação de rua – (190 espetáculos)
O cronograma das ações bem como a identidade gráfica do Projeto foram
detalhadamente explicadas por André Varandas, diretor artístico de “O Mar
que nos Une”
Municípios de Cantanhede
Figueira da Foz e Mira,
apresentam 208 eventos entre
Julho de 2021 a julho de 2022

A apresentação do Projeto assumiu a forma dum talk-show televisivo, a
que não faltou a necessária componente multimédia como se de um
estúdio de televisão se tratasse, numa diferente e inovadora forma de
apresentar um projeto institucional, o que augura uma excelente
implementação de “O Mar que nos Une” no terreno prático.
Estiveram presentes cerca de uma centena pessoas, atendendo às
imposições da DGS no que concerne à pandemia do COVID-19.
A agenda pode ser consultada em www.omarquenosune.pt

Pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui