Autarcas defendem Porto da Figueira da Foz junto do Ministro Pedro Nuno Santos

0
46
Pub

O Conselho Intermunicipal (CI) da CIM Região de Coimbra reuniu, esta sexta-feira, com o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, para apresentar o posicionamento estratégico deste território no sentido de estabilizar uma agenda regional de infraestruturas e habitação, fundamental face aos tempos atuais e vindouros.

“Este documento espelha todas as preocupações, no sentido macro, que todos os concelhos desta Região sentem”, afirmou Emílio Torrão, Presidente do CI da CIM Região de Coimbra, destacando que “é imperativo reconhecer a metropolização de Coimbra e da sua Região, como unidade fundamental para a estruturação de um modelo territorial equilibrado para o todo nacional”.

A nova Linha de Alta Velocidade, o Sistema de Mobilidade do Mondego, o Porto da Figueira da Foz, a calendarização das obras no IP3 e o programa de habitação foram algumas das temáticas abordadas durante a reunião, que decorreu na Herdade Real, em Mira.

«Esta não é uma região qualquer, tem a máxima importância e todas as condições para ter um papel muito importante, não só na Região Centro, mas a nível nacional” começou por enfatizar Pedro Nuno Santos, destacando que a ferrovia e a habitação sãos os dois desafios que mais o motivam no ministério que tutela.

No setor da ferrovia, o Ministro das Infraestruturas e da Habitação destacou a nova Linha de Alta Velocidade. Esta será “transformadora para todo o território e reforçará a centralidade de Coimbra no panorama nacional”. Por outro lado, o Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) que, segundo Pedro Nuno Santos, “o país desrespeitou durante muito tempo”, vai dar nova vida à Região de Coimbra.

“O Sistema de Mobilidade de uma Região, como a de Coimbra, que tem um perfil cada vez mais metropolitano, terá muito mais sucesso quanto mais o conseguirem densificar. Estarei cá para apoiar e defender uma expansão desta rede a outros concelhos”, afirmou.

A requalificação/ampliação e modelo de Gestão do Porto Comercial da Figueira da Foz foi um dos pontos estratégicos defendidos pelos autarcas da Região. Neste ponto, o governante frisou que vão ser realizados os investimentos necessários para permitir ao Porto da Figueira da Foz crescer de forma a acolher outro tipo de navios que, hoje, não pode receber. A este respeito, o Presidente da Câmara da Figueira da Foz, Pedro Santana Lopes, destacou estar satisfeito com o compromisso do Ministro.

No setor da Habitação, Pedro Nuno Santos, admitiu que os últimos 30 a 40 anos têm funcionado de forma disfuncional. “Em todos estes anos, o País conseguiu construir uma Escola Pública, um Serviço Nacional de Saúde, mas não fomos capazes de ter um programa sólido de habitação. Este problema não é passível de se resolver rapidamente, neste momento temos um problema na classe média que não consegue comprar casa”, afirmou, frisando que o governo está disponível para trabalhar em parceria com a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra e com os seus municípios, no programa “1.º Direito”, no Arrendamento Acessível e na criação de uma Bolsa Nacional de Alojamento Temporário.

“A CIM Região de Coimbra está ao seu dispor para desenvolver projetos na área da habitação, na defesa de um programa de habitação acessível a todos, mas precisamos de programas adaptados à nossa realidade territorial”, afirmou Emílio Torrão, Presidente do CI da CIM Região de Coimbra. O edil agradeceu ao Ministro Pedro Nuno Santos a disponibilidade para reunir de forma aberta e franca com os autarcas da Região de Coimbra e concluiu realçando que os seus contributos positivos “são um bom sinal para a estruturação e afirmação de uma Região de Coimbra Metropolitana”.

Pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui