Turismo Centro de Portugal ambiciona crescimento da procura na região em 2023

0
14
Pub

A entidade regional Turismo Centro de Portugal (TCP) ambiciona que em 2023 a região cresça na procura turística e ultrapasse os resultados de 2019, disse hoje o seu presidente.

A TCP esteve hoje reunida em Assembleia Geral, em Pombal, e, entre outros assuntos, aprovou o Plano de Atividades e o Orçamento para o próximo ano.

Segundo o presidente do TPC, Pedro Machado, para 2023 aquela entidade tem como “grande aspiração” que a região passe “a fasquia dos 7,1 milhões de dormidas” de 2019.

“Os dados de 2022, à data, apontam para um crescimento em número de dormidas, número de hóspedes e de receitas. O Banco de Portugal estima que Portugal possa chegar, em 2022, a 104% comparativamente com o resultado líquido de 2019. E, portanto, nós temos esses dois grandes objetivos: aumentar o número de dormidas, de noites, mas, simultaneamente, aumentar o número de receitas, sem perder empresas”, disse Pedro Machado à agência Lusa.

Referiu que é preocupação fundamental, quando se procura estabilizar e estruturar novos produtos e criar novas ofertas turísticas, que não se perca nenhuma empresa que esteja em atividade e, se possível, que a região Centro possa ser destino atrativo para a criação de novas empresas, alavancadas em novos produtos como nómadas digitais, ecoturismo e enoturismo.

Pedro Machado adiantou que a Assembleia Geral de hoje “preocupou-se em aprovar na estratégia de 2023 três grandes prioridades: recuperar o crescimento e a confiança dos consumidores; cumprir uma agenda para a sustentabilidade que permita mitigar as alterações climáticas, mas, ao mesmo tempo, fazer do Centro de Portugal um destino cada vez mais competitivo, nomeadamente através de uma agenda da criação do Centro de Portugal Destino Sustentável; e uma terceira linha muito virada para a ideia da coesão territorial, procurando organizar, promover, estruturar, produtos novos por todo o território”.

“Esta estratégia foi aprovada por unanimidade, nomeadamente o nosso Plano de Atividades e Orçamento. E é isso que nós vamos procurar fazer em 2023, que é continuar este caminho da recuperação do mercado nacional e, muito em particular, da aposta nos vários mercados internacionais”, declarou.

Outra “preocupação forte” do TCP vai para a captação de grandes eventos regionais, nacionais ou internacionais, “que permitam colocar o Centro de Portugal na agenda turística”, disse Pedro Machado.

Na Assembleia Geral de hoje, que decorreu no Teatro Cine de Pombal e foi dirigida por Leopoldo Rodrigues, presidente do município de Castelo Branco, e secretariada por Francisco Veiga, vice-presidente da Câmara de Coimbra, Pedro Machado, informou os parceiros presentes que a Turismo Centro de Portugal é o destino nacional convidado da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa 2023, uma distinção que disse ser “um ponto alto” na estratégia da entidade.

Na reunião foram apresentadas as linhas gerais do Programa Regional de Ecoturismo da Região Centro de Portugal.

“Este é um projeto liderado pelo TCP e que se encontra na fase de recrutamento dos vários intervenientes. O programa pretende sistematizar os casos de sucesso e boas práticas na estruturação de programas ecoturísticos, assim como identificar os principais ativos turísticos a este nível”, segundo aquela entidade.

Foi também aprovada a adesão da TCP à “Cortiçada Art Fest – Laboratório para a Gestão Integrada de Arte na Paisagem”.

 

Pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui