18.2 C
Figueira da Foz
Domingo, Abril 14, 2024

Bruno Paixão apresenta “Juvenal Papisco” na Figueira da Foz

EU REPÓRTER?

Metereologia

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -

O lançamento do romance de estreia de Bruno Paixão, “Os segredos de Juvenal Papisco”, com que venceu o prémio literário Luís Miguel Rocha, também será feito na Figueira da Foz, na próxima quinta-feira, dia 9, pelas 18h30, no Quartel da Imagem, com apresentação de António Tavares.

Recorde-se que o livro já foi apresentado em Coimbra, no Convento São Francisco e com lotação esgotada, com a presença de 500 pessoas.

Em Coimbra, Marta Temido, ex-ministra da Saúde, fez a apresentação e Hugo Gilberto, director-adjunto de informação da RTP, a moderação. O editor Vítor Gonçalves representou a Porto Editora.

Sisopse da obra

Orão é um lugar de sangue quente, cheio de superstições, habitado por personagens memoráveis como a benzedeira Xêpa Alma, o corrupto alcaide Heitor Raimundo ou o diligente boticário Zaqueu Soeiro. Destaca-se, entre eles, Juvenal Papisco, um padre de temperamento espontâneo e cru que sucumbe sem pudor aos prazeres e às imperfeições e que não suporta as injustiças que se perpetuam em Orão, avivadas pelo predomínio dos senhores de sempre.

Quando o jornal clandestino A Trama acusa Ismael Macho de andar metido com a mulher de outro, todos temem uma desgraça, e Ismael acaba mesmo por morrer durante a procissão da Virgem Santíssima, em circunstâncias estranhas. Todos as suspeitas recaem sobre o marido enganado, mas este nem à força de porrada admite a autoria do crime, para desespero do coronel Moniz.

Os segredos de Juvenal Papisco é um romance de estreia memorável, que com uma fina ironia e um apurado sentido caricatural se apresenta como uma metáfora social, expondo a traição, a urdidura política, as fraquezas da justiça, o espaço conjugal como campo de sonhos e de utopias e as mezinhas respondendo ao que a medicina não pode.

Romance emergente, no mais autêntico sentido da palavra, “Os segredos de Juvenal Papisco”, de Bruno Paixão, abre um capítulo de excelência no quadro da literatura contemporânea, segundo Vergílio Alberto Vieira, membro do júri do Prémio Literário Luís Miguel Rocha.

O autor

Bruno Paixão nasceu em Coimbra, em Novembro de 1975. Doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de Coimbra é professor do Ensino Superior e investigador. Foi jornalista, é cronista regular na imprensa e autor de livros de crónicas e académicos.

É director da Fundação INATEL em Coimbra, foi membro da Direcção da Associação Portuguesa Para o Estudo da Propriedade Intelectual e fundador da publicação universitária de defesa dos Direitos Humanos Enviado Especial. Presidiu à Comissão Executiva do Congresso “Pensar Portugal”.

“Os segredos de Juvenal Papisco”, obra vencedora do Prémio Literário Luís Miguel Rocha 2021, é o seu romance de estreia.

 

- Advertisement -

✚ Farmácias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -

Últimos Artigos

%d