15.4 C
Figueira da Foz
Quarta-feira, Maio 22, 2024

Territórios do Interior vão ser a prioridade na promoção turística nacional

EU REPÓRTER?

Metereologia

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -

Nuno Fazenda, Secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, anunciou em Viseu, o objetivo de promover os territórios do Interior a nível do turismo, discriminando-os de forma positiva em relação ao litoral. As declarações foram feitas numa sessão pública sobre a Agenda para o Turismo no Interior, que decorreu no Auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu.

“A coesão territorial é uma prioridade deste Governo e, nesse sentido, os territórios do Interior devem ser uma prioridade na promoção turística”, afirmou o governante, acrescentando que “o Interior tem produtos turísticos únicos que devem ser valorizados”.

Para concretizar esta intenção, o Secretário de Estado exemplificou com medidas que discriminam positivamente os territórios do Interior. São os casos do programa Consolidar + Turismo, que prevê mais apoios para empresas do Interior; do Portugal Events, que vai diferenciar positivamente os eventos que decorram em destinos afastados do litoral; e da valoração adicional das produções internacionais que escolham filmar em territórios de baixa densidade, ao abrigo da Portugal Film Commission. Nuno Fazenda anunciou ainda que o Governo pretende apresentar a Agenda para o Turismo no Interior em abril.

A sessão em Viseu integrou o Roteiro da Agenda para o Turismo no Interior, que o governante está a realizar pelo interior do país entre 31 de janeiro e 3 de fevereiro, com o objetivo de ouvir e debater com os atores locais os desafios, as potencialidades e as prioridades do turismo no interior.

Além de Nuno Fazenda, os discursos de abertura da sessão estiveram a cargo de Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, Leonor Barata, Vereadora do Turismo e Cultura da Câmara Municipal de Viseu, e José dos Santos Costa, Presidente do Instituto Politécnico de Viseu.

Na ocasião, Pedro Machado salientou a preocupação em combater a sazonalidade, a litoralização e a reduzida estadia média, assim como o despovoamento, problemas que afetam a atividade turística no Interior. Para fazer face a estas dificuldades, Pedro Machado defendeu que devem ser destacados os grandes trunfos do Interior do país. “O Interior de Portugal é o luxo do século XXI, uma vez que oferece tempo, silêncio e segurança. Se passarmos esta mensagem aos mercados internacionais, nomeadamente os mercados emergentes, seremos capazes de atrair mais turistas a estes territórios”, disse.

Seguiu-se um primeiro painel, intitulado “O Turismo no Interior e no Centro – Redes e Conhecimento”. Moderado por Filipe Silva, Vogal do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal, o painel teve intervenções de Jorge Brandão, Vogal Executivo do Programa Centro 2020, Carlos Ascensão, Presidente das Aldeias Históricas de Portugal, e Paulo Fernandes, Presidente da ADXTUR – Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto.

Com moderação de Jorge Loureiro, Vice-Presidente da AHRESP, o segundo painel da sessão teve como tema “O Turismo no Interior e no Centro – As Empresas”. Os oradores foram João Cotta (Presidente da AIRV – Associação Empresarial da Região de Viseu), Ana Berliner (Casa da Cisterna), Maria Manuel Silva (Casas da Lapa, Nature & SPA Hotel), Gualter Mirandez (Presidente da Associação Comercial do Distrito de Viseu) e Fernando Daniel Nunes (Administrador da Visabeira).

Antes do Secretário de Estado encerrar a sessão, houve ainda um animado debate com empresários e forças vivas da região.

Refira-se que, no âmbito do Roteiro da Agenda para o Turismo no Interior, Nuno Fazenda visitou, também ontem, a Casa das Fidalgas, em Santar, Nelas, e o Grande Hotel Lisboa, nas Termas de São Pedro do Sul.

 

Fonte: Turismo Centro de Portugal

- Advertisement -

✚ Farmácias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -

Últimos Artigos

%d